EcoProjet_blog_2021_11

Como vamos abastecer os veículos elétricos?

Os veículos solares já são uma realidade. Apesar de mais comuns nos Estados Unidos e na Europa, de janeiro a junho deste ano, quase 14 mil carros híbridos ou 100% elétricos foram emplacados no Brasil. A Associação Brasileira de Veículo Elétrico (ABVE) espera que até o final de 2021, mais de 30 mil automóveis e comerciais leves híbridos (HEV), híbridos plug-in (PHEV) e elétricos 100% a bateria (BEV) sejam vendidos em território nacional. E em outubro, a Gol Linhas Aéreas, em parceria com o Grupo Comporte, assinou um protocolo de intenções não vinculante com a Avolon para adquirir e/ou arrendar 250 aeronaves elétricas de decolagem e pouso vertical (eVTOL). A expectativa da companhia de aviação é que as operações iniciem até 2025.

Dentro deste cenário, é razoável afirmar que os próximos anos verão uma transformação significativa da frota de veículos automotivos no Brasil. Mas quais os obstáculos que precisam ser superados para que a eletrificação veicular aconteça com sucesso?

Principais desafios para a eletrificação veicular

• Comunicar ao consumidor as vantagens dos carros elétricos.
• Reduzir os custos dos veículos elétricos e híbridos.
• Desenvolver políticas públicas de incentivo a carros de zero emissão.
• Aumentar a capilaridade dos postos de recarga ultrarápida.

O Impacto na rede elétrica

O gradual aumento da quantidade de veículos elétricos tem o potencial de causar impactos importantes sobre a rede elétrica. A perda de tensão, aumento nas perdas de potência e a sobrecarga de transformadores e linhas de transmissão e distribuição estão entre os problemas de infraestrutura que deverão ser enfrentados.

Estudos indicam que quando os veículos elétricos representarem 30% da frota, o pico de carga do sistema elétrico como um todo se elevará em 7%, enquanto nos domicílios este valor chegará a 54%. Este aumento pode fazer com que a capacidade da infraestrutura de distribuição de eletricidade seja excedida, tornando necessárias adaptações ao sistema. O resultado final, possivelmente será uma tarifa de energia mais alta para o consumidor final.

O papel da Geração distribuída (GD)

O incremento na demanda de energia representado pela alta penetração dos veículos elétricos pode ter seu impacto reduzido através da utilização de sistemas de GD, particularmente os solares fotovoltaicos, cuja aquisição é mais acessível. A energia gerada por estes sistemas, um estudo percebeu, pode suprir as necessidades energéticas para o carregamento das baterias dos veículos elétricos.

Através de políticas públicas que simultaneamente estimulem a compra destes veículos e facilitem a instalação de sistemas fotovoltaicos em empresas e residências, o impacto na rede elétrica pode ser consideravelmente reduzido. Se um veículo elétrico está nos seus planos futuros, assim como produzir a sua própria energia, é boa ideia já prever o consumo de energia das baterias no dimensionamento do projeto. Entre em contato para saber mais e pedir um orçamento sem custos.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin